Sucesso a longo prazo no Poker Online com estratégias vencedoras – inscreve-te já grátis!

As melhores estratégias Com a estratégia correta, o poker torna-se numa brincadeira. Os nossos autores mostram passo a passo como funciona.

As cabeças mais espertas Aprende em conjunto com os mais bem sucedidos jogadores de poker nos treinos ao vivo e no fórum.

Dinheiro de Poker Grátis A PokerStrategy.com é completamente gratuita. Para além disso espera-te dinheiro de poker grátis.

Já és membro da PokerStrategy.com? Faz o login aqui

EstratégiaNo-Limit BSS

Deception (Enganar) - O Básico


» COLUNA

Deception (Enganar) - O Básico

por MiiWiin

Deception é um dos princípios básicos do poker. Neste artigo gostaria de referir o sentido e os conceitos básicos de "Deception" e o porquê de ser tão importante.

Antes de mais vou citar David Sklansky "Fundamental Thoerem of Poker": "...de todas as vezes que os adversários jogam as mãos de maneira diferente daquela que teriam jogado, se tivessem oportunidade de ver as vossas cartas, vocês ganham; e de todas as vezes que eles jogam da mesma maneira que teriam jogado se tivessem oportunidade de ver as vossas cartas, vocês perdem." [1]

Qualquer pessoa, que consiga dominar bem o jogo normal de poker, tenta sempre jogar sem qualquer tipo de movimentos. Ele só aposta e faz raise com mãos fortes, para assim maximizar o seu value. E faz check e fold de mãos fracas, porque ele não quer investir muito dinheiro num pot que ele provavelmente não irá ganhar.

Vocês não precisam de argumentar contra esse tipo de jogo, mas Sklansky encontra uma certa culpa na realidade de que vocês de tornam legíveis. Qualquer pessoa, que esteja sempre a fazer apostas e raises com mãos fortes e check e fold com mãos fracas, torna-se muito fácil de obter reads. Ele vai mais cedo ou mais tarde revelar as suas cartas, e assim a proposta de Sklansky pode ser aplicada.

Os nossos adversários vão conseguir obter reads do nosso jogo. Eles vão determinar o nosso range e ajustar a sua forma de jogar. Eles nunca saberão a nossa mão exacta, mas sabem que tipo de mãos é que costumamos jogar. No longo prazo, eles vão conseguir chegar relativamente perto das nossas mãos e cometer assim menos erros.

Mas esta situação é irritante. Os nossos adversários deveriam cometer erros. Isso assegura que nós consigamos obter lucros. Nós conseguimos lucrar com todos os erros dos adversários. Por outro lado, os nossos erros custam dinheiro. Mas desde que permitamos que os adversários consigam reads do nosso jogo, os nossos adversários não vão ser capazes de cometer muitos erros.

Sobre este tópico, aqui fica outra citação de David Sklansky: "Os erros dos vossos adversários, são as vossas oportunidades de obter lucro. Os bons jogadores de No-Limit tentam vencer sempre as batalhas dos erros." [2]

Agora temos que considerar como é que podemos tirar partido da deception. Nós temos que conseguir confundir e enganar o nosso adversário. E não podemos deixar que consigam obter reads do nosso jogo. O nosso objectivo deve ser o de conseguir fazer com que o nosso adversário cometa erros, e evitar ao mesmo tempo cometer erros nós próprios.

No entanto temos que considerar também certas situações, que exigem que se siga uma linha de jogo muito certinha. Podemos mesmo em algumas situações oferecer umas certas pistas sobre a nossa mão e mesmo assim obter ganhos, porque em certas situações nós temos que proteger a nossa mão se estivermos a pensar que o adversário pode ter um draw e que o pode completar se vir outra carta.

Basicamente temos que considerar 3 pontos se queremos decidir, se vamos jogar de forma a enganar o adversário ou então de uma forma certinha.

1.

Primeiro, as skills do nosso adversário: será que o nosso adversário consegue determinar o nosso range. Devemos tentar enganá-lo? Contra jogadores fracos, especialmente contra calling stations, devem optar por uma linha de jogo mais certinha. Apostem em todas as streets contra ele.

Não tem qualquer interesse estar a representar uma mão forte, se o vosso adversário não está interessado nem nas vossas cartas nem no vosso estilo de jogo. Ele vai estar concentrado na sua própria mão e em não cometer mais erros se por acaso tentarmos alguma jogada especial.

Mas e quanto aos adversários fortes? Como é que jogam contra uma pessoa que é muito agressiva e que analisa a vossa forma de jogar? Nestes casos devem tentar que o vosso adversário não consiga obter reads do vosso jogo. Este tipo de adversário pode não conseguir entender a vossa estratégia na totalidade, e assim poderá cometer alguns erros se tiver pela frente um forte adversário, que faz ajustes à sua forma de jogar. Devemos começar a pensar em utilizar a deception.

2.

Segundo, o tamanho do pot: Quanto maior for o pot, mais importante se torna a deception. O fold equity vai descer e todo o tipo de jogadores irá preferir jogar com as suas cartas do que estar a tentar adivinhar as cartas dos adversários. Só existem duas maneiras possíveis de se jogar num pot grande. Vamos fazer fold de mãos fracas, que provavelmente vão perder se não conseguirem melhorar, e vamos jogar agressivamente as mãos fortes, para assim maximizar o seu value e ao mesmo tempo protege-las.

Os pots mais pequenos podem ser jogados de uma forma mais manhosa (enganadora). Podem tentar ganhar um pot com uma mão fraca. Se conseguirem roubar pequenos pos na posição correcta, eles no final vão acumular um número respeitável de fichas. Além disso também se irão tornar mais difíceis de ler para os vossos adversários, que deve ser afinal o vosso objectivo. Roubar pots pequenos com uma mão fraca tem um efeito positivo na vossa imagem. Os adversários não vão provavelmente acreditar nas vossas mãos fortes e vão jogar grandes pots contra as nossas mãos que são melhores.

3.

O terceiro ponto importante é o número de adversários: A deception tem que permitir que a nossa mão não seja fácil de obter reads por parte dos adversários. Podem fazer isso com enorma sucesso em heads-up, mas se o número de adversários for maior isso quer dizer que o fold equity vai diminuir, o qual nós precisamos se queremos simular que temos uma mão forte. Quem é que quer fazer check/raise de um fraco flush num pot 5-handed?

Contra um grande número de adversários devemos optar por jogar a mão de uma forma certinha. Devemos apostar com as nossas mãos fortes e fazer fold das nossas mãos fracas.

 

» SUMÁRIO

Em qualquer mão temos que considerar se precisamos de utilizar a deception ou se é preferível seguir um caminho mais direito e jogar sem correr riscos. Por isso os nosso adversários são um factor decisivo: Contra muitos adversários numa mão, especialmente muitos jogadores fracos, devem preferencialmente fazer fold de mãos fracas e evitar fazer movimentos especiais. Um grande pot tem o mesmo efeito, pois as hipóteses de conseguir fazer com que os vossos adversários abandonem a mão são muito pequenas.

Mas a deception pode ser uma grande vantagem se jogarmos pequenos pots contra adversários fortes, especialmente em heads-up ou num pot 3-handed. Nós conseguimos camuflar bem as nossas mãos e fazer com que os nossos adversários cometam erros bastante caros.

Numa última referência vou citar novamente David Sklansky acerca do "pensamento invertido":

“Por vezes a melhor forma de fazer deception pode ser jogando de forma certinha e sem correr riscos, uma vez que os adversários mais fortes vão pensar que estamos a fazer bluff.“ [3]

Fontes:
[1]-[3] "The Theory of Poker", David Sklansky, S. 63-69