Sucesso a longo prazo no Poker Online com estratégias vencedoras – inscreve-te já grátis!

As melhores estratégias Com a estratégia correta, o poker torna-se numa brincadeira. Os nossos autores mostram passo a passo como funciona.

As cabeças mais espertas Aprende em conjunto com os mais bem sucedidos jogadores de poker nos treinos ao vivo e no fórum.

Dinheiro de Poker Grátis A PokerStrategy.com é completamente gratuita. Para além disso espera-te dinheiro de poker grátis.

Já és membro da PokerStrategy.com? Faz o login aqui

EstratégiaFixed Limit

Poker - Para além do factor sorte, só a ciência da análise pura?

» COLUNA

Poker – para além do factor sorte, só a ciência de análise pura?

por Firsttsunami

O conceito da value esperada é tão indispensável para o poker como as cartas que nos são dadas pelo dealer. Sem este conceito de matemática, que nos indica o que podemos esperar de uma certa acção, o jogo de poker não seria a mesma coisa, uma vez que é requerido que o vejamos como sendo um jogo de estratégia para assim podermos jogar correctamente. Sem dúvida nenhuma que o jogo deve muitos dos seus seguidores a estas análises.

Para além do componente matemático moderado que existe no jogo, existe outro factor ainda mais irracional no poker. O factor pessoas. Isto é o que torna o jogo de poker tão dinâmico e que lhe transmite tanto misticismo. Ambos os componentes contribuem para todo o fascínio que rodeia o mundo do poker.

Com o conhecimento de que o poker tem componentes racionais e irracionais, vou agora concentrar as minhas atenções no value esperado (Expected Value - EV).

Se nos sentarmos numa mesa e jogarmos uma mão, podemos depois analisar as nossas decisões olhando para o EV de certos movimentos.

Suponhamos que estamos perante uma situação em que temos um flush draw e queremos saber se temos fold equity suficiente para fazer um semi-bluff. Avançamos e colocamos toda a informação correcta e necessária numa fórmula apropriada. Determinamos qual é a nossa equity e o tamanho do pot. Pegando nesta informação, vamos poder determinar qual a percentagem de mãos com que o adversário terá que fazer fold para que o nosso movimento tenha +EV.

Para que consigamos fazer uma análise limpa do EV, temos que saber qual é o range do nosso adversário. Se soubermos apenas uma parte, não vamos conseguir fazer uma análise exacta. Temos que por isso fazer suposições tendo como base nos padrões normais de raises de abertura do adversário e as suas sequências de apostas anteriores.

Dois tipos de EV

O tempo é um factor de influência nas pessoas e podemos fazer a distinção entre dois tipos de EV, EV de curto prazo e EV de longo prazo.

EV de curto prazo

A "EV de curto prazo" está relacionada com uma decisão isolada numa situação específica.

EV de longo prazo

A EV de longo prazo toma em consideração o factor tempo, considerando os efeitos de uma decisão em eventos futuros. Podemos dizer que uma EV de longo prazo é um produto da EV de curto prazo e da história. Por isso, a EV de longo prazo é difícil de determinar uma vez que temos que considerar toda a história e prognosticar correctamente os efeitos no nosso jogo.

Os efeitos dinâmicos do factor pessoas é difícil de prognosticar, e por isso pode ser quase impossível determinar a EV exacta de um determinado movimento. Quando estamos a jogar poker Live podemos olhar o adversário nos olhos e ter uma sensação daquilo que ele possa estar a fazer, mas quando estamos a jogar online, temos apenas um username, e nenhuma informação sensorial.

É geralmente impossível de prever quais são as emoções e acções humanas. Muitos filósofos já se debateram sobre este assunto. A única coisa que podemos fazer é tentar adivinhar como é que o adversário irá se adaptar às nossas acções e tentar assim estar sempre um passo à frente dele.

EV- de curto prazo = EV+ de longo prazo?

Uma questão que colocamos é a seguinte:

Será que faz sentido fazer um movimento que aparentemente não tem razão de ser numa análise de curto prazo, mas que vai proporcionar ganhos no longo prazo devido a erros futuros que os adversários vão cometer? Por outras palavras, será que podemos fazer movimentos aqui e ali de EV- de curto prazo com o objectivo de a EV+ de longo prazo contrabalançar as nossas perdas?

Temos primeiro que colocar algumas questões preliminares:

Com que rapidez é que o adversário de adapta?

Contra um adversário que não tem em consideração a história e que nãs se adapta aos adversários, não faz qualquer sentido utilizar este tipo de movimento uma vez que a EV de longo prazo não é influenciada.

De uma forma geral, quão fortes são os adversários neste limite?

Nos limites mais pequenos do tipo $1/$2 ou $2/$4, a maioria dos adversários não se vai conseguir adaptar correctamente ao estilo dos outros adversários. Sem reads, devem ter só em conta a situação corrente.

Os adversários estão a jogar em várias mesas?

Se um adversários estiver a jogar em várias mesas, não é muito provável que eles façam outra coisa que não seja considerar apenas a situação actual.

Será que o adversário confia na sua habilidade para se adaptar? Será que ele nos conhece bem?

Se o adversário nos conhecer, for um bom leitor de mãos e souber que não somos nenhuns irresponsáveis, ele pode adaptar a sua forma de jogar contra a nossa preferência, conseguindo até fazer uma leitura correcta do nosso jogo. Se na situação em que estivermos envolvidos, ambos os jogadores forem TAGs sólidos, este movimento não faz muito sentido.

Em que condições é que este movimento pode fazer sentido? Deve ser utilizado quando o seguinte se proporciona:

  • O adversário não sabe que somos um TAG sólido.
  • Ele joga razoavelmente.
  • Ele consegue adaptar o seu estilo de jogo.
  • Ele não está a jogar noutras mesas.
UM EXEMPLO

Preflop: Hero is BB with 3, 3
4 folds, SB raises, Hero calls.

Flop: (4.00 SB) A, K, Q (2 players)
SB bets, Hero calls.

Turn: (3.00 BB) K (2 players)
SB bets,

Jogamos algumas mãos contra o nosso adversário em heads-up. Ele é desconhecido, mas ainda não o vimos a fazer nenhum erro importante e a sua estratégia aparenta ser bastante razoável. Também não está a jogar em mais nenhuma mesa.

Nesta mão defendemos a nossa big blind com 33. Fazemos call no flop, raise no turn. Este movimento não faz qualquer sentido, como é evidente, quando se considera o EV de curto prazo, uma vez que é EV- fazer raise nesta situação com um par pequeno.

Nesta board o adversário quase nunca vai fazer bet/fold no turn. Fazemos aqui raise, alimentando assim o adversário com informação falsa, esperando que a nossa EV de longo prazo vá melhorar à custa de futuros erros do nosso adversário depois de este ver o nosso subóptimo raise no turn.

O adversário vai criar uma impressão incorrecta de nós e vai de certeza começar a fazer call downs mais looses, depois de nos colocar erradamente num range que não é verdadeiro. Vai demorar ainda um bocado até que o adversário consiga mudar a primeira impressão que teve de nós, uma vez que ainda vão ser precisas muitas mãos para que ele consiga perceber de que isto foi apenas uma excepção do nosso estilo normal de jogo. Temos que conseguir explorar a nossa imagem durante este período de jogo. Como é que podemos fazer isso?

É simples: uma vez que ele estima o nosso range de raise no turn mais loose, ele vai jogar mais vezes bet/call em vez de bet/fold e check/fold. Podemos por isso fazer apostas mais pequenas com as nossas mãos feitas mais fracas, mas não devemos tentar fazer semi-bluffs tantas vezes porque senão perdemos o nosso fold equity.

Como já dissemos anteriormente, não existe nenhuma garantia de que o adversário se vá adaptar e de que as nossas mudanças irão explorar verdadeiramente o seu comportamento. É por isso um pouco difícil definir o EV de longo prazo. Contudo, se o adversário se adaptar rapidamente, ele vai ficar sem nada para aproveitar.

» Sumário

Este artigo não recomenda que incorporem jogadas iguais às de cima no voss estilo de jogo normal. Deve ser apenas utilizado contra adversários atentos e em circunstâncias muito específicas, para que assim os consigam irritar e forçar a cometer erros.

Para além disso é importante que melhorem o vosso conhecimento do jogo e acima de tudo que consigam resistir a entrar em tilt. Digam para vós próprios: "A jogada pode parecer errada, mas não podemos ter a certeza absoluta se foi boa ou má, mas no entanto pode ter sido de facto uma jogada com efeitos positivos no futuro". Não devem avaliar mais as decisões tendo como base o seu resultado, e devem isso sim começar a jogar o jogo completamente limpos de emoções.

Podem ver o quão complexo pode ser o poker. Este artigo apenas dá uma pequena espreitadela no longo labirinto que é o poker. É um jogo transcendental para pessoas muito inteligentes, com grandes doses de entretenimento. Um jogo tão complicado que não apenas pessoas como vós, mas muitos outros tipos de pessoas, estão hoje em dia entusiasmados com ele.

 

Comentários (3)

#1 SauloFRoes, 16.09.08 16:35

magnifico

#2 Luthgalo, 08.04.09 14:03

Muito bom

#3 Trustvainer, 01.12.10 14:00

Excelente!