Estudantes recebem 30 euros para ver pornografia